Qual a importância da avaliação de desempenho? Como isso pode aperfeiçoar o trabalho do servidor público? Existe algum impacto na gestão e no uso dos recursos públicos? Para responder a essas e outras questões, a Advocacia-Geral da União – AGU está lançando uma série de vídeos explicativos. O material está sendo produzido pela Secretaria-Geral de Administração do órgão e está disponível no Youtube para acesso de todos. Até agora, apenas um vídeo foi produzido (assista no final desta matéria).

As metas alcançadas podem significar um dinheiro extra no final do ano.
Falta de capacitação é um dos principais problemas no serviço público.

Este é o primeiro dos três vídeos que a AGU planeja lançar até o final de maio. Neste vídeo de abertura, a secretária-geral de Administração, Gildenora Milhomem, revela como é feito o processo de avaliação: baseado no respeito e concretizado através do diálogo entre a chefia e os subordinados. São buscados os pontos fortes e fracos de cada servidor para que seja possível capacitá-lo ou mudá-lo de função. “É um momento de oportunidade de a instituição verificar as deficiências de seus servidores e do próprio servidor em aumentar sua gama de conhecimento”, explica.

A dirigente também destaca que as avaliações têm como objetivo o crescimento dos servidores públicos e da própria instituição. Além disso, o procedimento permite o aprimoramento do lado pessoal e profissional, pois, quando o servidor não está desenvolvendo seu trabalho da melhor forma possível, ele pode ser selecionado para participar de processos de capacitação.

A avaliação de desempenho é feita anualmente por servidores públicos e chefes integrantes dos órgãos e repartições do Poder Público. A avaliação de desempenho da AGU está prevista para iniciar na segunda quinzena de junho.

Gratificações e bônus

As avaliações de desempenho são divididas em duas fases: a individual e a institucional. A primeira é destinada a saber como está desempenho do servidor no exercício das atribuições do cargo ou função, buscando aprimorar sua produtividade e fazer com que ajude no alcance das metas estipuladas.

Já a segunda diz respeito à instituição de trabalho e analisa o desempenho coletivo dos funcionários na conquista dos objetivos organizacionais pré-estabelecidos. Nessa hipótese podem ser considerados projetos e/ou condições especiais de trabalho.

A soma das notas é utilizadas como fator de referência para o pagamento da Gratificação de Desempenho de Atividade Apoio Técnico Administrativo – GDAA, devida a servidores com nível superior, médio e auxiliar pertencentes ao quadro de pessoal, não integrantes das carreiras jurídicas. Há também a Gratificação de Desempenho de Atividades de Cargos Específicos – GDACE, que é paga a titulares dos cargos efetivos de nível superior que exerçam a função de engenheiro, arquiteto, economista, estatístico ou geólogo.

Assista ao vídeo explicativo da AGU: