O Regimento Interno do TCU, nos termos do art. 7º da Resolução TCU nº 206/2007, prevê a possibilidade de considerar-se prejudicado, por perda de objeto, o exame dos atos de concessão cujos efeitos financeiros tenham se exaurido antes de seu processamento, a exemplo de favorecidos falecidos.

Comentário do CAB: e se o sistema de TI que realiza os pagamentos não cancelá-los, o morto continuará recebendo? Lembram-se das fraudes em pagamentos de inativações.