Da Agência Estado, com adaptações

Estudo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES avaliou que o País poderá receber aproximadamente R$ 4,07 trilhões em investimentos entre 2014 e 2017. O volume de recursos será aplicado principalmente nas áreas de petróleo e gás, energia, infraestrutura e mobilidade urbana. O volume é 28% maior do que os investimentos feitos entre 2009 e 2012.

No estudo anterior, a previsão era de investimentos de R$ 3,98 trilhões. O levantamento de agora inclui os planos estratégicos das empresas e não somente os projetos financiados pelo banco.

A diferença, segundo o banco, é puxada pelo setor de petróleo, que cresceu em R$ 30 bilhões nas estimativas de investimentos em relação ao último levantamento, feito em outubro. O setor também é responsável pela alta na participação da indústria no total de investimentos previstos para o período. Aproximadamente R$ 1,5 trilhão será destinado para a área, capitaneada pela indústria de óleo e gás.

No comunicado divulgado pela instituição, o BNDES destaca ainda os investimentos em mobilidade urbana como “uma área de grande importância para o desenvolvimento econômico e social do País”. A área receberá R$ 89 bilhões. A maior parte, 58% do total, será destinada a projetos de metrôs. Também serão beneficiados projetos de monotrilho (16%) e BRT (13%).

Segundo o BNDES, os investimentos no setor são sustentados pela “retomada da capacidade de investimento dos Estados, explicada, em parte, pelas recentes rodadas de descontingenciamento feita pelo governo federal”. O banco ainda destaca a ampliação nos investimentos privados, via parceria público-privada (PPP).

A área de infraestrutura receberá R$ 575 bilhões, uma alta de 35% na comparação com o último quadriênio.