A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes, do Ministério da Educação, por meio da Portaria nº 60, de 4 de maio de 2015, regulamentou os valores de bolsas de estudo e auxílios pagos no país e no exterior no âmbito dos programas e ações de fomento geridos pela Diretoria de Relações Internacionais do órgão. O Objetivo é proporcionar o desenvolvimento das ações de fomento e internacionalização da educação superior brasileira.

Com a medida, foram regulamentadas também as modalidades de bolsa para a iniciação científica e iniciação tecnológica industrial na esfera das bolsas concedidas no país pelo Programa Ciência sem Fronteiras e para mestrado profissional no âmbito dos programas geridos pela Diretoria de Relações Internacionais da Capes.

Mensalidades; auxílio-instalação; auxílio-deslocamento; adicional dependente; auxílio-seguro saúde; auxílio material didático e adicional localidade (concedido aos bolsistas com destino a instituições de ensino superior sediadas em cidades consideradas de alto custo) são benefícios que serão percebidos pelos estudantes.

A portaria estabelece os valores – em diversas moedas – das modalidades de auxílio e bolsa que deverão ser pagas no Brasil e no exterior. O professor catedrático, participante dos programas tradicionais e Ciências Sem Fronteiras, atuante na Universidade de Harvard perceberá, por exemplo, uma mensalidade (paga em dólares) de US$ 10.400,00. Esse mesmo profissional atuante em outras instituições receberá US$ 5.000,00. Por outro lado, a graduação sanduiche (em que o universitário realiza um período da faculdade fora do país de origem) terá uma remuneração de US$ 300,00.

A tabela com os valores dos demais benefícios pode ser consultada no link: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=06/05/2015&jornal=1&pagina=11&totalArquivos=84