Estamos caminhando para mais transparência ou será que apenas a população está mais consciente da necessidade de fiscalizar os gastos públicos? Nesta terça-feira, 16, a Controladoria-Geral da União – CGU publicou notícia comemorando o número recorde de acessos ao Portal da Transparência. Em maio de 2015, o site registrou o maior pico de acessos já registrados em um mês: 1,4 milhão. Esse é o resultado mais expressivo desde o lançamento do portal, em 2004.

Em 2014, o portal teve um total de 14,5 milhões de visitantes ao longo do ano. No presente ano, até maio, já foram 6,7 milhões. Como os números mês a mês estão maiores no comparativo com o mesmo período do ano passado, a tendência, portanto, é uma quantidade maior de acessos em 2015.

O portal ainda carece de mais informações e de um modelo mais simplificado para que qualquer pessoa consiga entender os gastos ali dispostos. O aumento de acessos, porém, demonstra uma maior procura pelo serviço, o que pode significar que o cidadão brasileiro está mais consciente do seu papel de fiscalizador da atividade dos seus eleitos e do uso do dinheiro obtido com o pagamento dos seus impostos.

Exposição e monitoramento dos gastos públicos

Cidadão brasileiro parece estar buscando mais informações sobre os gastos do seu dinheiro.
Maio teve número recorde de acessos no Portal da Transparência.

O Portal da Transparência tem a meta de ampliar a divulgação do emprego de recursos na gestão pública. Por intermédio de um site de acesso livre, o cidadão pode acompanhar como o dinheiro público é utilizado, permitindo a fiscalização e cobrança. Nos últimos dez anos, o Portal tem tido crescimento expressivo no número de visitas a cada ano. Com a média mensal registrando maiores números, a expectativa da CGU é haja um novo recorde em 2015.

Em 2014, o Portal da Transparência trouxe mudanças que contribuíram para a melhoria da navegabilidade e da transparência dos gastos públicos. Foram implementadas inovações como a disponibilização de dados sobre imóveis funcionais, bem como a integração dos dados dos convênios com o Sistema de Convênios – Siconv. Mesmo assim, a maioria das reclamações é em relação a usabilidade do site, que nem sempre dispõe os dados de forma inteligível, principalmente para aqueles que não estão habituados com a linguagem formal adotada no serviço público.

No site institucional é possível realizar consultas relativas aos órgãos e entidades vinculadas ao Poder Executivo Federal, tais como: transferências de recursos; execução orçamentária e financeira; receitas e convênios; servidores; imóveis funcionais; consultas por temas (Bolsa-Família, diárias em trânsito, Cartão de Pagamento do Governo Federal, transparência nos Estados e Municípios); Cadastro de Entidades Privadas Sem Fins Lucrativos Impedidas (Cepim); Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (Ceis); entre outras.