O Correio Braziliense desta segunda-feira, 20, trouxe interessante matéria em que lista cargos e servidores que desempenham funções cruciais dentro da máquina pública. São agentes com salários altos  – R$ 15 mil para cima –, responsabilidades enormes e influência ímpar nas mais importantes decisões da União.

O jornal destaca iniciativas interessantes de servidores, como o compromisso com o patrimônio cultural, a aproximação do Judiciário ao povo e o combate voluntário à corrupção.

O texto cita o nome do auditor Alexandre Ziller, do Tribunal de Contas da União – TCU. Segundo a matéria, ele fundou o Instituto de Fiscalização e Controle – IFC e o projeto Adote Um Município para auxiliar no controle social dos recursos aplicados pelo Poder Público.

Clique aqui para ler o texto na íntegra.

Comentário do CAB: Louvável a iniciativa de muitos destes grandes nomes do serviço público. É preciso, porém, que haja certa cautela por parte dessas pessoas no exercício das atividades extra-laborais.

O auditor do TCU, por exemplo, não pode utilizar a prerrogativa do cargo ocupante para ter acesso facilitado e irrestrito a informações sigilosas. É importante que ele faça o trabalho paralelo utilizando dos mesmos mecanismos que o cidadão comum dispõe, como o Portal da Transparência e a Lei de Acesso à Informação.

Além disso, a atividade deve ser desempenhada em horário fora do turno e não pode haver qualquer tipo de benefício, seja financeiro ou político. É bom ficar de olho…