O empresariado brasileiro, excessivamente tributado, merece que o fruto de tantas taxas seja aplicado com eficiência ímpar pelo poder público. É elogiável, portanto, a ação do Poder Executivo, que acaba de editar decreto estabelecendo nova condicionalidade ao recebimento do seguro-desemprego.

Diferente do decreto anterior, o atual estabelece que o recebimento do seguro-desemprego pela segunda vez, dentro de um período de 10 anos, poderá estar condicionado à comprovação de matrícula e frequência em curso de qualificação profissional organizado pelo Ministério da Educação.