A partir desta segunda-feira, 3, a presidente da República, Dilma Rousseff deu início a uma importante reviravolta no quadro de ministros do Governo Federal. Houve a nomeação e exoneração em três grandes ministérios. Os nomeados são:

ALOIZIO MERCADANTE OLIVA, para exercer o cargo de ministro da Casa Civil da Presidência da República;
THOMAS TIMOTHY TRAUMANN, para exercer o cargo de ministro da Secretaria de Comunicação Social;
JOSÉ HENRIQUE PAIM FERNANDES, para exercer o cargo de ministro  da Educação;
ADEMAR ARTHUR CHIORO DOS REIS, para exercer o cargo de ministro da Saúde.

Foram exonerados:

HELENA MARIA DE FREITAS CHAGAS, do cargo de ministra da Secretaria de Comunicação Social;
GLEISI HELENA HOFFMANN, do cargo de ministra da Casa Civil da Presidência da República;
ALEXANDRE ROCHA SANTOS PADILHA do cargo de ministro da Saúde.

Comentários do CAB:  A presidente Dilma Rousseff formalizou as primeira mudanças na Esplanada dos Ministérios. Não houve muitas surpresas, já que as tratativas vinham sendo divulgadas nos bastidores há algumas semanas.

Para se candidatar ao governo do estado de São Paulo, Alexandre Padilha sai para dar lugar ao atual secretário de Saúde do município de São Bernardo do Campo – SP, Arthur Chioro.

Aloísio Mercadante deixa o MEC para se tornar ministro-chefe da Casa Civil, substituindo Gleisi Hoffmann, que irá disputar as eleições para o comando de seu estado, o Paraná. Quem assume o MEC é o secretário-executivo da pasta, José Henrique Paim.

A novidade foi a substituição da ministra Helena Chagas, que comandava a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Quem assume o comando da pasta é o atual porta-voz da Presidência, Thomas Traumann. A Presidência da República não explicou o motivo da mudança, mas a imprensa vem especulando que o estopim tenha sido a polêmica escala feita pela presidente em Lisboa, ocasião em que ficou hospedada na suíte presidencial e jantou em um caríssimo restaurante.