O Tribunal de Contas da União – TCU fixou um teto para dispêndios com ressarcimento de despesas médico-hospitalares para servidores da casa. Ficou acertado o valor máximo de R$ 300 mil para todo o ano de 2014. Esse montante só pode ser usado para pagamento de despesas não contempladas pelo plano de saúde atual.

Comentários do CAB: A fixação de limites sempre é vantajosa para a Administração Pública. Quando não se há impedimento, se gasta mal e desenfreadamente. Já quando há limitação, o agente público passa a zelar com mais eficiência pelo dinheiro, afinal de contas, se ele for gasto à revelia, incorre-se no risco de servidores serem prejudicados.