O jornal O Globo desta terça-feira, 25, traz matéria em que revela o dilema vivido pelo Instituto Nacional do Câncer – Inca. Segundo o veículo de mídia, o Tribunal de Contas da União – TCU determinou, em 2006, a demissão de pessoal contratado indiretamente, por meio de uma fundação, o que faria com que o instituto fechasse por falta de servidores. O INCA vem conseguindo adiar a decisão por intermédio de recursos, mas o último acordo feito extingue-se em 31 de março de 2015.

De acordo com o que apurou o jornal, será preciso pensar em um novo modelo de funcionamento e contratação, mas esta questão vem se arrastando há mais de sete anos, sem um desfecho vislumbrado.

Leia a íntegra da matéria no site do jornal O Globo.

Comentários do CAB: É preciso que haja respeito as leis vigentes, mas é inaceitável que questões burocráticas e a desídia do governo federal comece a afetar a área da saúde. A situação é mais grave quando fala-se no combate ao câncer, doença que, mesmo com todo esforço do Inca, vem avançando no país.

Urge a necessidade de o Ministério da Saúde propor um novo modelo de gestão para resolver o impasse. Em vez disso, o ministério sugeriu a criação de uma fundação pública, o que só pode ser feito com autorização do Congresso. Como 2014 é ano eleitoral, ainda que os parlamentares aprovassem a lei complementar amanhã, não haveria tempo hábil para realização de concurso público e posse dos novos servidores.