O Tribunal de Contas da União – TCU aplicou multa de R$ 200 mil à Federação Brasiliense de Kung-fu e imputou um débito de, aproximadamente, R$ 3 milhões por irregularidades no programa desportivo social “Segundo Tempo”.

Houve, também, a condenação solidária do conhecido João Dias Ferreira, policial militar que foi preso durante a chamada Operação Shaolin. Segundo denúncia do Ministério Público, ele chefiava um grupo que emitiu 49 notas frias para retirar o dinheiro repassado pelo Ministério dos Esportes a entidades sociais conveniadas com o programa do Governo Federal.