A Fundação receberá 2% (dois por cento) da receita corrente líquida do Distrito Federal para ações de desenvolvimento científico e tecnológico, conforme Emenda à Lei Orgânica nº 69 de 2013, publicada hoje no Diário Oficial do Distrito Federal.

A transferência será mensal, na forma de duodécimos, como renda de sua privativa administração.

O Distrito Federal é um celeiro de intelectuais, mas sempre aplicou poucos recursos em ciência e tecnologia.