O Estado de Goiás é um canteiro de obras. Isso é sinônimo de crescimento que não pode ser confundido com desenvolvimento. No primeiro, aumenta o produto interno bruto do Estado, já o segundo, exige o aumento concomitante de indicadores sociais.

Parece, desse modo, que Goiás somente cresce. Isso porque um ente que investe tanto em obras deve ter alguns trocados para investir mais em segurança pública. ao contrário disso, demonstra uma dependência crônica da Força de Segurança Nacional.

Foi novamente autorizada a prorrogação da permanência da referida Força por mais 180 (cento e oitenta) dias para atuar em apoio ao Governo de Goiás “em ações de preservação da ordem pública, da incolumidade das pessoas e do patrimônio, nas cidades limítrofes entre Goiás e Distrito Federal, por meio de ações de Polícia Ostensiva; no cumprimento de mandado de prisão, busca e apreensão e barreiras policiais especificamente em rodovias; de Polícia Judiciária na apuração de inquéritos policiais de homicídios no entorno de Brasília, buscas e apreensões; de Perícia Forense nos exames de eficiência balística, microcomparação balística, necropapiloscopia e identificação criminal; e de Bombeiros nas ações de projetos sociais, dentro do planejamento do Gabinete de Gestão de Segurança do Entorno.” Ou seja, atuará em todas as áreas que deveriam atuar as instituições de segurança Goiana.