Governo cria espaço para controle e combate zika vírus

O mosquito Aedes aegypti é um velho conhecido dos brasileiros. A cada verão, campanhas de combate ao mosquito, transmissor da dengue, são realizadas em todo o país. Em 2015, porém, o mosquito foi o responsável pelo surto de microcefalia, o que exigiu novas ações das autoridades públicas. Isto porque o mosquito é também o transmissor de zika vírus, responsável pela doença. Desde esta constatação, o Estado Brasileiro busca mecanismos de enfrentamento e combate ao mosquito. Uma destas ações foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira.

Monitorar os procedimentos adotados para intensificar as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti
O grupo deverá monitorar os procedimentos adotados para intensificar as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti

O Governo Federal decidiu instalar a Sala Nacional de Coordenação e Controle, que funcionará no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional. De acordo com a norma, objetivo da Sala Nacional de Coordenação e Controle é gerenciar e monitorar a intensificação das ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti, para o enfrentamento da Dengue, do Vírus Chinkungunya e do Zika Vírus

A sala de controle terá representantes de diversos órgãos do Governo Federal, como: Ministério da Saúde, Ministério da Integração Nacional; Casa Civil da Presidência da República; Ministério da Defesa; Ministério da Educação; Ministério do Desenvolvimento Social; e  Secretaria de Governo da Presidência da República.

O grupo terá como atribuições: definir diretrizes para intensificar a mobilização e o combate ao mosquito Aedes aegypti em todo território nacional, além de consolidar e divulgar informações sobre as ações e os resultados obtidos; coordenar as ações dos órgãos federais de disponibilização de recursos humanos, insumos, equipamentos e apoio técnico e logístico, em articulação com órgãos estaduais, distritais, municipais e entes privados envolvidos; monitorar os procedimentos adotados para intensificar as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti; além de apoiar e acompanhar a instalação das Salas Estaduais, Distrital e Municipais de Coordenação e Controle;.

O que é o Zika Vírus?

De acordo com informações do Ministério da Saúde do Brasil, o vírus Zika é um arbovírus (grande família de vírus), transmitido pela picada do mesmo vetor da dengue, o Aedes aegypti. O ministério da Saúde confirmou a relação entre o surto de microcefalia que acometeu o país com o zika vírus.

A microcefalia não é um agravo novo. Trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico menor que o normal, que habitualmente é superior a 33 cm

Não há tratamento específico para a microcefalia. Existem ações de suporte que podem auxiliar no desenvolvimento do bebê e da criança, e este acompanhamento é preconizado pelo Sistema Único da Saúde – SUS. Até o dia 28 de novembro, foram notificados à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde 1.248 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 311 municípios de 14 estados do Brasil. O estado de Pernambuco mantem-se com o maior número de casos.