O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, por meio da Portaria nº 142, de 5 de maio de 2015, instaurou inquérito civil público para apurar possível ato de improbidade praticado em contratos de aluguel e na venda de boxes da Feira dos Importados, em Brasília.

O procedimento, que está registrado no Sistema de Controle e Acompanhamento dos Feitos e Requerimentos sob o nº 08190.108761/15-53, foi iniciado pelo Promotor de Justiça em exercício na 2ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social do Distrito Federal, Rodrigo de Araújo Bezerra.

Em 1997, a Feira dos Importados se formou em área de domínio público do Distrito Federal, nas mediações do Estádio Mané Garrincha. Nesta época, era conhecida como a Feira do Paraguai, posto que, dedicava-se à venda de produtos eletrônicos oriundos do país vizinho.

Neste mesmo ano, o Governo do DF efetivou a transferência da feira para uma área de, aproximadamente, 70.000 m2 de propriedade do CEASA, agregando aos feirantes, outros comerciantes do CONIC, e das Feiras do Trabalhador e do Guará.

Hoje, a feira possui 1.990 boxes e 56 quiosques, ocupados por 1.758 permissionários que comercializam produtos variados, como eletrônicos, móveis, artigos domésticos, brinquedos, produtos automotivos, roupas e acessórios.