A lista de inelegíveis para as eleições deste ano, elaborada pelo Tribunal de Contas da União – TCU, deverá aumentar 32,6% em relação a 2010. A relação com 6,5 mil nomes de gestores públicos federais, estaduais e municipais que tiveram as contas reprovadas nos últimos quatro anos será entregue em junho ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

O presidente do TCU, ministro Augusto Nardes, diz que a alta se deve à reestruturação do tribunal, que digitalizou processos e passou a fazer auditorias de desempenho. “Hoje, 40% da nossa força de trabalho já está direcionada para avaliar a qualidade dos produtos que o Estado oferece à sociedade, como saúde e educação.”, afirmou.

Durante passagem por Porto Alegre, o ministro inaugurou a sede reformada do TCU na Capital e participou de uma conferência sobre governança pública: “Temos de acabar com a história do jeitinho brasileiro. Muitas obras não acontecem porque não tem gente preparada para fazer os projetos de forma adequada.”

O ministro voltou a criticar o atraso na entrega de obras para a Copa. Segundo Nardes, 43% dos projetos de mobilidade urbana não ficarão prontos, o que poderá resultar em punições a gestores.