O Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos instituiu o Prêmio Antonieta de Barros – Jovens Negros e Negras. A condecoração tem a finalidade de premiar ações de comunicação realizadas por jovens negros e negras, que contribuam para a promoção da igualdade racial, dos direitos humanos e para o enfrentamento ao racismo.

A Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas do ministério será responsável por coordenar o prêmio. A norma destaca a necessidade de fortalecimento da juventude negra na área da comunicação, em especial a comunitária, engajada e comprometida com o enfrentamento ao racismo, na promoção da igualdade racial envolvendo a população negra.

De acordo com informações da portaria publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 31 de março, afirma que a iniciativa atende ao objetivo do ministério de estimular o protagonismo juvenil; promover os jovens como exemplos para outros jovens; divulgar ações de comunicação realizadas; promover a imagem positiva do jovem negro; mobilizar, articular e fortalecer o movimento jovem envolvido com o tema e mapear jovens promotores de comunicação.

O prêmio atende, ainda, à atribuição do ministério de formulação, coordenação e avaliação das políticas públicas afirmativas de promoção da igualdade e da proteção dos direitos de indivíduos e grupos étnicos, com ênfase na população negra, afetados por discriminação racial e demais formas de intolerância;

O edital com as definições do prêmio será publicado na imprensa oficial.

Quem foi Antonieta de Barros?

Conforme explica a própria norma que instituiu o prêmio, Antonieta de Barros, era uma educadora e jornalista catarinense. Foi a primeira mulher a assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina e representa inspiração para as ações de comunicação e protagonismo da juventude negra.

Ela criou jornal, promoveu intercâmbio com organizações de mulheres brasileiras, tornou-se parlamentar na primeira eleição em que mulheres puderam votar e foi a primeira mulher negra a assumir um mandato legislativo e popular.