A nova política, segundo o normativo, propõe uma prática político-pedagógica que perpassa as ações voltadas para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a partir do diálogo entre a diversidade de saberes, valorizando os saberes populares, a ancestralidade, o incentivo às produções individual e coletiva de conhecimentos e a inserção destes no SUS.

Um de seus princípios é a amorosidade, ou seja, a ampliação do diálogo nas relações de cuidado e na ação educativa pela incorporação das trocas emocionais e da sensibilidade, propiciando ir além do diálogo baseado apenas em conhecimentos e argumentações logicamente organizadas.

Comentário do CAB: espera-se que a amorosidade seja a palavra derivada de amor e não de morosidade: “a morosidade”. Elogiável a nova política implantada.