Canal Aberto Brasil
Absolutamente tudo sobre notícias

CEOs do Google, Facebook e Twitter serão interrogados por causa de desinformação

O comitê do Congresso dos Estados Unidos questionará os chefes do Google, Facebook e Twitter sobre como suas plataformas lidaram com o COVID-19 e a desinformação eleitoral.

Os chefes de equipe do Google, Facebook e Twitter se reunirão para outra rodada de questionamentos perante o Congresso em 25 de março, abordando o papel de suas plataformas no tratamento da desinformação. A próxima sessão com os chefes dos três titãs da tecnologia cobrirá dois tópicos em particular – COVID-19 e fraude eleitoral – e como suas respectivas plataformas desempenharam um papel na divulgação de mentiras e informações prejudiciais em torno dos assuntos mencionados, que eventualmente se transformaram em crise e continua a ter um efeito preocupante.

Quer se trate de falsidades sobre a vacina COVID-19 ou denúncias desmascaradas de fraude eleitoral, essas plataformas online permitiram a disseminação de desinformação, intensificando as crises nacionais com consequências terríveis na vida real para a saúde e segurança públicas. Esta audiência dará continuidade ao trabalho do Comitê de responsabilizar as plataformas online pelo crescente aumento da desinformação e desinformação. Por muito tempo, a grande tecnologia falhou em reconhecer o papel que desempenhou em fomentar e elevar informações flagrantemente falsas para seu público online. A autorregulação da indústria falhou. Devemos começar a trabalhar para mudar os incentivos que levam as empresas de mídia social a permitir e até promover a desinformação e a desinformação.

Organizado pelo Comitê de Energia e Comércio, a próxima audiência virtual também incluirá membros do subcomitê de Comunicações e Tecnologia e do subcomitê de Defesa do Consumidor e Comércio. Nos últimos meses, o papel combinado do YouTube, Twitter e Facebook, de propriedade do Google, na disseminação de informações incorretas sobre as eleições nos Estados Unidos e a vacina COVID foi questionado em várias ocasiões por especialistas.

Embora o Google, o Facebook e o Twitter adotem medidas como rotular e remover postagens e contas, uma boa dose de informações prejudiciais ainda é vendida diariamente. E mesmo que a desplataforma de Trump finalmente tenha acontecido por causa de seu suposto papel no uso dessas plataformas para incitar a violência no Capitólio, era muito pouco, muito tarde.

Em relação à pandemia em andamento e à desinformação relacionada à vacina COVID-19, um grupo vocal ainda está espalhando mentiras sobre eles e continua a operar nas plataformas oferecidas pelo Google, Facebook e Twitter. Cada empresa tomou medidas para conter a disseminação de informações incorretas e orientar as pessoas a fontes confiáveis ​​de informação sobre a vacina COVID-19, mas é preciso fazer mais a esse respeito.

Via Pocketnow
você pode gostar também

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. OK Mais detalhes