A presidente Dilma Rousseff deve lançar 400 licitações para que sejam iniciadas 100 obras rodoviárias em todas as regiões do país, de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo. O plano será gerenciado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes – Dnit e terá investimento estimado em R$ 8 bilhões. Ao todo, serão mais de 6,4 mil km de novas estradas, duplicações, contornos, anéis rodoviários, pontes, viadutos e travessias urbanas. Grande parte dos projetos está localizada em cidades de regiões metropolitanas bastante populosas das capitais do Sul, Sudeste e Nordeste.

Por se tratar de investimento federal para as obras públicas, sem a necessidade de assinatura de convênios com Estados e municípios, Dilma poderá lançar os editais e as obras antes das eleições e pelo Regime Diferenciado de Contratação – RDC. Os novos projetos vão compor a carteira do Dnit, hoje com R$ 10 bilhões em obras em andamento. Parte das licitações será descentralizada às superintendências do Dnit nos estados, mas as obras mais complexas serão de responsabilidade da sede do órgão.

Comentários do CAB: Dilma quer deixar uma mensagem bem clara até as eleições: há obras em andamento e preciso ser reeleita para haver a conclusão. Não é a toa que a presidente está inaugurando obras quase que diariamente. Esse pacotão é mais uma tentativa de mostrar ao povo que ela também deixará um legado para o país. Só espera-se que não seja um legado igual ao da Copa do Mundo, que até agora ninguém viu.