A Controladoria-Geral da União – CGU encerrará na próxima sexta-feira, 31, as inscrições para o Pró-Ética, programa de incentivo empresarial à adoção de boas práticas. Chamado de compliance, esse conjunto de práticas de sucesso envolvem ações de integridade, transparência, prevenção e combate à corrupção no ambiente corporativo. O órgão planeja divulgar os melhores resultados, com a lista de empresas aprovadas, no mês de novembro.

A adesão ao programa é voluntária e gratuita e a inscrição ainda pode ser feita no portal da CGU. Os pedidos serão avaliados pelo Comitê Gestor, composto pela CGU, pelo Instituto Ethos, e por mais oito instituições dos setores público e privado reconhecidas no meio empresarial.

Todas as empresas que remeterem seus pedidos receberão um relatório detalhado com a análise das medidas de integridade. Logo, mesmo a empresa ainda não apta a figurar na lista anual do Pró-Ética poderá aproveitar a iniciativa para aprimorar suas práticas. Mais detalhes e informações sobre a avaliação e/ou sobre o funcionamento do Pró-Ética podem ser consultados clicando aqui.

Como é feita a avaliação?

Códigos de ética são indispensáveis no ambiente de trabalho.
CGU vai analisar boas práticas no âmbito de integridade, transparência e combate à corrupção.

Representante da empresa interessada deve preenche formulário eletrônico, formalizando a vontade de compartilhar o programa de integridade. Uma senha de acesso ao sistema é enviada para o e-mail cadastrado. Já logado no sistema, será necessário preencher a análise de perfil e o questionário de avaliação fornecido da página.

A análise de perfil tem um viés mais declaratório e objetivo, dispondo sobre área de atuação, estrutura física e relação com a Administração Pública. Já o questionário avaliativo possui perguntas abertas, mais subjetivas, em relação aos seis temas seguintes:

  1. comprometimento da alta direção e compromisso com a ética;
  2. políticas e procedimentos;
  3. comunicação e treinamento;
  4. canais de denúncia e remediação;
  5. análise de risco e monitoramento;
  6. transparência e responsabilidade no financiamento político e social.

Para cada um dos temas será atribuída uma pontuação. A nota vai depender da análise dos documentos comprobatórios enviados pela empresa como resposta ao respectivo questionamento. Para integrar a lista do Pró-Etica 2015 é preciso atingir pontuação igual ou superior a 70 pontos, devendo atingir no mínimo 40% do valor total da nota nos seis critérios analisados.

As empresas aptas a integrar a lista passarão a serem reconhecidas publicamente pelo compromisso com a ética e a integridade. Isso porque, além da lista divulgada em todo o país, será possível utilizar a marca Pró-Ética 2015 em ações de marketing, publicidade ou onde mais for pertinente.

Para mais informações, acesse o link do Pró-Ética no site da CGU.