A Prefeitura de Ponta Grossa, município localizado a 103 km de Curitiba/PR, abriu uma licitação estimada em R$ 15 milhões para manter em funcionamento o Hospital Municipal Amadeu Puppi. Com o vencimento do contrato emergencial da empresa Atual Médica Gestão de Saúde Ltda, em junho, o município busca uma nova gestora para não paralisar as atividades da unidade hospitalar.

Além dos serviços regulares já em andamento, o novo contrato inclui os serviços de urgência e emergência para o novo Pronto Atendimento, que substituirá o Centro de Atenção à Saúde Central. Desde junho de 2014, o hospital opera por intermédio de contrato provisório emergencial, firmado após a recusa da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Institucional, Científico e Tecnológico da Universidade Estadual de Ponta Grossa – Fauepg em renovar o contrato. A Fauepg alegou falta de pagamento por parte da Prefeitura.

O prazo inicial para a vigência da terceirização provisória era de três meses, mas precisou ser renovado diversas vezes até que ficasse pronto o edital. A licitação de R$ 15 milhões procura uma empresa especializada que forneça mão de obra para melhorar os serviços de ortopedia no Amadeu Puppi.

De acordo com a própria Secretaria de Saúde municiapl, o número de candidatos aprovados no último concurso não foi suficiente para completar a escala de ortopedia e dar conta da demanda. A empresa contratada também irá atuar na prestação de serviços na Unidade de Terapia Intensiva – UTI, alas de internamento, Centro Cirúrgico (cirurgias e apoio) e unidades de apoio (especialidades de acesso e unidade de anestesiologia) com o novo contrato.