O jornal Clarín veiculou na Argentina uma longa notícia em que relata que a Stryker, que vende equipamentos médicos para hospitais e participa de licitações no Brasil, soma-se ao caso da Siemens, da Biomet e da Ralph Lauren.

Segundo a matéria divulgada no referido jornal, a multinacional norte americana de instrumentos médicos Stryker confessou à Securities and Exchange Commission dos EUA (SEC) que pagou propina de um milhão de dólares para os médicos de hospitais públicos na Argentina, entre 2005 e 2008, para vender seus produtos.

Ainda na matéria, menciona-se que um comunicado da SEC informou que a Stryker concordou em pagar uma multa de 13,2 milhões de  dólares para evitar processo criminal por subornos pagos na Argentina, no México, na Grécia, na Polônia e na Romênia.

Se a Lei nº 12.846/2013, de responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, já estivesse em vigor, a Stryker poderia ser responsabilizada administrativa e judicialmente no Brasil.

Confira a íntegra da notícia, no link: http://www.clarin.com/politica/empresa-EEUU-admitio-coimas-Argentina_0_1017498294.html