O Tribunal de Contas da União – TCU – novamente reforça seu posicionamento no sentido de que não deve ser utilizada mão de obra temporária em atividades permanentes da Administração Pública direta e indireta.

No Acórdão 2305/2013, do Plenário do TCU determinou à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) que substitua os empregados temporários por empregados efetivos, via concurso público.