O ministro José Jorge, do Tribunal de Contas da União – TCU, disse que está apurando se houve equívoco na atribuição de responsabilidades a diretores da Petrobras que aprovaram a compra da refinaria de Pasadena, em 2006.

Um novo relatório poderá isentar Ildo Sauer, diretor de Gás e Energia de 2003 a 2007, e incluir a atual presidente da estatal Graça Foster, que ocupou o mesmo cargo entre 2007 e 2012. No relatório divulgado semana passada, o TCU não se atentou para o fato de Sauer já ter deixado a empresa no momento da aquisição, não havendo, portanto, como imputar responsabilidade ao ex-diretor.

Graça não foi citada pelo Ministério Público, autor da representação no TCU, nem na investigação do Tribunal, mas pode também ser responsabilizada porque no período que ocupou o cargo, ainda se desenvolvam as negociações para a aquisição da refinaria.

Na semana passada, o TCU aprovou parecer de José Jorge que condena 11 executivos a pagar US$ 792 milhões pelos prejuízos causados com a compra da unidade e ordenou o bloqueio de seus bens, e que inocenta os conselheiros na época. A presidente da República, Dilma Rousseff está entre os inocentados.

“Se for contatado equivoco, será devidamente corrigido por leio de nova decisão a ser proferida pelo Plenário do TCU”, informou a assessoria do Tribunal.