Há normativo do Tribunal de Contas da União – TCU, que determina a quantificação do dano por meio de estimativa, para fins de ressarcimento, quando, por meios confiáveis, apurar-se quantia que seguramente não excederia o real valor devido pelo responsável ao erário.

Essa questão é polêmica e entende-se que o mais acertado é julgar as contas iliquidáveis, pois é uma situação de incerteza quanto ao valor real do prejuízo ao erário.