Foi realizada, na tarde da segunda-feira, 19, uma audiência pública para apresentar um estudo encomendado pela Prefeitura de Juiz de Fora que traçou o diagnóstico do transporte público na cidade. Segundo o levantamento, apenas duas empresas ou consórcios serão contemplados na licitação a ser feita pelo Executivo, e elas deverão prestar o serviço em três áreas operacionais. O município fica localizado na divisa entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro. O próximo passo é a divulgação do edital de licitação, que ainda está sendo preparado e não tem data para ser lançado.

Parte da solução, segundo relatório divulgado pela empresa responsável pelo estudo, é otimizar o tempo de viagem de cada linha, e não aumentar a frota. A Prefeitura abriu espaço em seu site para receber sugestões e esclarecer dúvidas de quem não pode comparecer à audiência. O questionário ficará aberto por uma semana.

Os principais problemas encontrados foram congestionamento, semáforos e áreas de embarque e desembarque que não são suficientes para os grandes corredores. Outro ponto de melhoria apontado pelo estudo é dividir a cidade em três áreas de operações. Cada empresa vencedora do processo licitatório ficará responsável por uma área, e a terceira será dividida entre as duas empresas. Além disso, para bairros distantes, que hoje não são atendidos pelo transporte público, serão utilizados micro-ônibus, que facilitam o acesso.

O estudo também apontou sugestões de longo prazo para melhorar a mobilidade, circulação e acessibilidade. No entanto, serão necessários grandes investimentos, restruturação viária e implantação de terminais de integração.