A implantação do software público i-Educar pela Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal – SEDF em 2012 resultou em uma economia de mais de R$ 91 milhões em relação a despesas totais de produção e manutenção de sistema. A solução está disponível para download livre no Portal do Software Público Brasileiro, que é gerenciado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – MPOG.

De acordo com levantamento de 2011, o desenvolvimento de um software para realizar matrículas de alunos custaria aproximadamente R$ 13 milhões, além dos imprescindíveis R$ 2 milhões mensais para a manutenção e suporte do sistema. Atualmente, mais de 650 escolas e 448 mil estudantes utilizam a plataforma i-Educar.

O sistema é gerenciado e mantido pelos próprios servidores do Governo do Distrito Federal – GDF, sem qualquer contratação de mão-de-obra adicional. O sistema reúne, ainda, todos benefícios sociais aos quais o aluno tem direito, como o Cartão Material Escolar, o Bolsa-Família, entre outros.

Além da matrícula e dos benefícios sociais, o i-Educar também é utilizado no auxílio da gestão dos recursos da merenda escolar, no preenchimento dos dados do censo escolar do Ministério da Educação – MEC, no controle do diário dos professores, armazenamento de boletins e históricos escolares, controle de faltas dos alunos, pagamento de gratificação dos professores, monitoramento do transporte escolar, entre outras. A vantagem é que ele pode ser acessado de qualquer lugar via smartphones.

O Portal do Software Público Brasileiro disponibiliza soluções públicas de tecnologia da informação sem a necessidade do pagamento de licenças. Lançado há mais de sete anos pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação – SLTI, o portal teve uma nova versão beta disponibilizada ano passado.

Comentários do CAB: Eis um ótimo exemplo de tecnologia barata e a favor do gestor público. Tomara que estados e municípios repliquem esta boa prática. A implantação do software livre é solução eficaz para os governos, já que, além de ser gratuitos, possuem código aberto, o que possibilita a realização de aprimoramentos e adequações.